HISTÓRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO FRANCISCO DO OESTE

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

HISTÓRICO

A povoação organizada nas terras de Salamandra teve início quando Enéas Filgueira, seu proprietário, doou a Vicente Honorato Barreto, em 1942, uma faixa de terreno para a construção da capela em homenagem a São Francisco de Assis. Com a construção da capela, inaugurada no mesmo ano em missa celebrada pelo padre Carlos Theissen, o povoado de Salamandra começou a tomar forma e a expandir-se. Nessa época de pioneirismo, destaca-se a figura de Raimundo Nonato Leite, popularmente conhecido como Raimundo Marinho, que entregou parte de seu patrimônio para a consolidação de um núcleo populacional nas terras de Salamandra.
Salamandra é um batráquio saudoso, comum na Europa e ignorado no Brasil, que segundo a tradição atravessa as chamas de fogo sem se queimar. É desconhecida, porém, a relação do nome com a localidade.
No dia 22 de outubro de 1962, que foi instalado no dia 15 de fevereiro de 1962, com a posse do prefeito interino, senhor Alberto Cavalcante de Castro, nomeado pelo governador Aluízio Alves, que administrou o município até 01 de fevereiro de 1965, quando foi substituído por José Raimundo de Freitas, primeiro prefeito constitucional de SALAMANDRA foi o senhor JOSÉ RAIMUNDO DE FREITAS, eleito em 25 de janeiro de 1965 e tomou posse no dia PRIMEIRO DE FEVEREIRO DE 1965 e governou até 31 de janeiro de 1969. Através da Lei número 2.966, sancionado pelo então e saudoso governador Aluízio Alves (11/8/1921 – 06/05/2006), Salamandra foi desmembrada de Portalegre, tornando-se município do Rio Grande do Norte, instalado em . Treze anos depois, em 24 de outubro de 1976, pela Lei número 3.522, o município mudou de nome para São Francisco do Oeste, em homenagem ao padroeiro da comunidade.

Um comentário:

  1. Caro amigos

    Com único intuito de divulgar os grandes escritores
    e grandes livros Potiguares , agora existe um espaço para valorizar as nossas obras literárias.

    Peço a voces gentilmente , que divulguem esse trabalho sem fim lucrativo, que quer apenas valorizar as obras e os autores da nossa terra. Todos os homenageados vivos, estão sendo comunicados e estão muito felizes .

    Muitos dos grandes livros e autores do RN precisam ser reeditados e relançados urgentemente, é preciso chamar atenção dos governos estadual e municipal para essa causa .

    Essa luta é de todos os Potiguares

    101 livros do RN (que você precisa ler).

    http://101livrosdorn.blogspot.com/

    Grato

    ResponderExcluir